• Poder do Clique

Começando a melhorar minha vida financeira

De fato, esse ponto é atualmente um dos maiores problemas da população brasileira. Por que a cada ano vemos notícias que trata sobre o crescimento dos endividados/inadimplentes no Brasil? Parece notícia antiga, mas na verdade frequentemente se torna assunto atual. Segundo o Serviço de Proteção de Crédito (SPC), em julho de 2018, o total de brasileiros com dívidas em atraso chegou quase a 63,4 milhões.



Nesse sentido, não é de surpreender que, por esse e outros motivos, grande parte das pessoas acredita ser normal estar endividado, que “não há como viver sem se endividar”. Até porque pagamos coisas muito caras e que afetam significativamente o nosso bolso, como IPTU, IPVA, parcela e Seguro de Carro, revisão de veículo, combustível, escola/faculdade, material escolar. Esses são apenas alguns exemplos do que pagamos todos os anos, alguns mensais, outros anuais, mas que, de qualquer forma, optamos pelo parcelamento para não piorar a nossa vida financeira. Mas mesmo assim, parece não ajudar muito.


Pelo fato de que o Brasil é um dos países em que a população mais sofre com as altas taxas de juros e impostos, essa ótica natural de viver endividado soa cada vez menos como um fator assustador em nossas vidas. Então, trabalhamos, trabalhamos e trabalhamos, e quando temos a oportunidade de fazer algo por nós, também decidimos por comprar mais coisas ou gastar com restaurantes, fast-foods, entre outras formas de entretenimento que, no fim das contas, acabam não sobrando dinheiro na conta da mesma forma.


Claro que há diversas outras coisas em que utilizamos essa “sobra” de dinheiro, como a ajuda para pagamento de dívidas. Mas o ponto é que, na maior parte das vezes, não temos o controle do que estamos fazendo com o nosso dinheiro.


Independentemente se temos muitas dívidas ou não, ou até mesmo se não temos alguma, as pessoas geralmente não fazem o controle de seus gastos e nem de suas receitas. Dessa forma, não conseguem se planejar e o dinheiro vai embora rápido. Por isso, neste artigo, vamos começar do básico, salientar a importância do que estamos gastando, do quanto “eu” recebo e o quanto “eu” vou gastar.


Se você está pensando que é impossível fazer isso, ou que, mesmo se você fizesse isso, nunca sobraria dinheiro na sua conta, sendo assim, nem seria necessário ter um controle, saiba que você está enganado! Se realmente nos esforçarmos e tentarmos, conseguimos ter o controle e caso você tenha gastos muito altos, sim, há como você viver bem gastando menos, ou o que é chamado de “viver um degrau abaixo”.


Neste momento, não vamos nem pensar o que você deseja fazer com o dinheiro que sobrar, vamos focar no controle. Primeiro, antes de mais nada, abra o Excel, pense nos custos que você tem todo mês (custos fixos) e escreva um em cada linha, como: parcela de carro, plano de operadora de celular, mensalidade da escola/faculdade e TV a cabo.



Feito isso, pule uma linha e coloque gastos que sempre tem, mas não sabe ao certo o quanto vai gastar (custos variáveis), como: combustível e supermercado. A partir daí, pule uma linha novamente e separe algumas linhas para coisas que você irá gastar, mas não sabe o quanto, nem quando e nem se vai gastar. Esses gastos, por exemplo, coloque como gastos pessoais. Eles são opcionais e você quem decide quando quer utilizá-los.


Depois de inserir nas linhas o destino de cada parte da renda, coloque nas colunas de cima todos os dias do mês em questão, onde cada dia está em uma coluna. Dessa forma, quando tiver que gastar ou que já gastou um pouco do dinheiro, coloque o valor no dia que gastou na linha do tipo de gasto que teve.


Fez isso? Ótimo! Agora, durante um ou dois meses, observe o quanto está gastando no total e, a partir dessa análise, coloque um limite mensal para os seus gastos variáveis e pessoais.


Finamente, um último passo, dentro desse mesmo arquivo em Excel, abra uma aba para cada mês do ano. Para os custos fixos atuais e futuros, você vai perceber que já consegue planejar o quanto vai ser destinado para eles. Então, por exemplo, se estamos em janeiro e somente março eu vou começar a pagar a parcela do carro, a partir de março você consegue já verificar que vai ter um outro custo fixo.


Tudo isso é claro que depende de pessoa para pessoa e exatamente dessa forma pode não servir para um o que serve para outro. O importante é perceber para onde está indo o nosso dinheiro e o quanto podemos economizar. Às vezes, você deixando de sair alguns fins de semana, por exemplo, pode te ajudar a ter ganhos incríveis no mês e, ao longo do tempo, esse dinheiro vai aumentando na sua conta, podendo te ajudar a gastá-lo com o que realmente precise ou queira.



Outro ponto importante é que, se perceber que ainda consegue deixar um dinheiro guardado (estude sobre investimentos) para “reservas de emergência”, não hesite em fazer, pois na verdade esse é um dos fatores principais de quem tem a mentalidade financeira e se antecipa aos imprevistos. Somente não foi explorado neste artigo por não ser o foco do mesmo.


Dessa forma, conseguimos ter uma noção maior sobre dinheiro e como utilizá-lo. É claro que, há casos e casos, mas é importante entendermos que dinheiro é um ponto crucial, essencial e inevitavelmente vamos lidar com ele em algum momento de nossas vidas, não importando se gostamos ou não de “mexer” com ele.


O intuito deste texto, mesmo que básico, é fazer com que paremos de nos endividar e comecemos a prosperar, querendo apenas o sucesso de cada um que ler e se identificar com o que se apresenta. Por isso, controle o seu dinheiro, se desenvolva e, se puder, também ajude quem você vê que precisa. Afinal, precisamos compartilhar conhecimento para sermos cada vez menos manipulados, e comecemos a questionar tudo o que parece normal e comum.



Conclusão


Diante de tudo isso, os primeiros passos são mais simples do que parecem. Abra o seu Excel, comece a organizar com o que já gasta e com o que pretende e gosta de gastar. Liste apenas o super necessário e guarde o que sobrar, ou invista. Fazendo esse tipo de tarefa, você terá um panorama e controle muito maior do dinheiro que possui.


É muito importante que mantenha isso na sua rotina. Faça uma vez ao mês, uma vez por semana, ao dia, a frequência que conseguir lidar com o decorrer do tempo.


Ah, quer sair do básico e expandir ainda mais a sua receita e o seu orçamento? Pesquise, leia, estude, ou seja, se aprofunde no assunto de modo que consiga ganhar, guardar e investir ainda melhor do que pensa.


O que te impede hoje de começar a organizar sua vida financeira? Comente abaixo, e vamos conversar.


#PoderdoClique #Finanças

13 visualizações

© 2019 por Poder do Clique. Orgulhosamente criado com Wix.com

ACOMPANHE-NOS NAS REDES SOCIAIS

  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Instagram