• Poder do Clique

Como a mente aberta vai me ajudar a sair da zona de conforto

Primeiro, por que mesmo deveríamos ter mente aberta e sair da zona de conforto se a própria expressão parece querer dizer algo positivo, no qual nos sentimos confortáveis?


Sim, verdade. Não negamos, a zona de conforto realmente tem seus benefícios particulares.


Pois algo que corresponde a uma série de ações, pensamentos e comportamentos que provocam nenhum tipo de medo, ansiedade ou risco não pode ser tão ruim assim.


Uma pessoa que, geralmente, está na zona de conforto realiza apenas as coisas que trazem resultados satisfatórios, e isso até certo ponto acaba sendo positivo mesmo.


Porém, a zona de conforto também possui um lado negativo, como proporcionar uma rotina e mente estagnados, indo contra a evolução de nós como ser humano e sociedade, o que pode nos deixar em uma situação nada perto de algo acima da média.


Por isso, neste artigo, vamos abordar o ângulo negativo da zona de conforto.


A partir daí, falaremos como a mente aberta pode ajudar nessa questão, de forma que nos faça crescer como pessoa e coletivo.





Nós, Poder do Clique, realmente pensamos que estamos aqui para ser indivíduos acima da média, sempre em prol de um mundo mais cooperativo e em constante desenvolvimento.


Ou você acha que como estamos agora deveria permanecer para sempre?


Acreditamos sinceramente que não, certo?


Então, vamos descobrir qual o grande benefício (melhor: quais os grandes benefícios) da mente aberta, que nos ajuda a sair dessa zona de conforto insatisfatória.


Baseado no que pudemos analisar lendo, observando e consumindo conteúdos de qualidade, as principais vantagens são:


  • Reduz o preconceito.

  • Aumenta a quantidade de ideias.

  • 'Modismo positivo vence 'tradição negativa'.

  • Ajuda a dominar medos.

  • Sai do mindset fixo para o mindset de crescimento.


Fique tranquilo, vamos explicar cada um deles para você.



Reduz o preconceito



Antes de começarmos a dar mais detalhes sobre este tópico, vale ressaltar que este texto tem como maior referência das ideias aqui abordadas a partir da leitura de trechos no livro O Manuscrito Original: as Leis do Triunfo e do Sucesso, de Napoleon Hill.


E vamos destacar quais são esses trechos com o decorrer da linha de raciocínio.


O primeiro é:


Odiamos ser perturbados nas crenças e preconceitos herdados com a mobília da família.

Daqui surgiu a reflexão do por que possuímos tanta resistência em derrubar o nosso próprio preconceito.


E no livro mencionado, algumas frases depois, o autor parece responder diretamente o 'motivo' por trás disso:


(..) não existe nenhuma razão adequada para o homem comum fechar sua mente para novos "ângulos" na vida.

Pois é, se questione também:


  • Por que deveríamos fechar nossa mente para novos ângulos?

  • Por que deveríamos fechar nossos olhos para não enxergar o próximo?

  • Por que deveríamos fechar nosso mundinho para não deixar que o diferente entre em nossa vida?


Se você, como nós, não encontrou uma boa razão para isso acontecer, vamos abrir nossa cabeça para impedir a existência da discriminação de qualquer tipo.


Você vai perceber o potencial que a vida à sua volta tem a ganhar.


Estando mais aberto para ouvir grupos que antes não aceitávamos durante a história, conseguimos construir um círculo social maior e de melhor qualidade.


Um velho fazendeiro de Vermont costumava encerrar suas orações com o seguinte apelo: "Ó Deus, me dê uma mente aberta!". Se mais pessoas seguissem o exemplo, poderiam escapar da paralisia por preconceitos. E que lugar agradável de se viver seria o mundo.

Ou seja, aumentando o respeito quanto às diferenças do próximo, atingimos com muito mais sucesso a melhora de nossas relações interpessoais.


E quanto mais relações boas e saudáveis criamos, melhor isso reflete em nós, pois tendemos também a ficar bem por muito mais tempo.



Aumenta a quantidade de ideias



Bom, a mente aberta pode trazer a primeira vantagem que discutimos interferindo diretamente nesta segunda.


Isso porque expandir o nosso círculo social ao reduzirmos nosso preconceito resulta na diversidade de assuntos e histórias que conhecemos.


E, ao termos contato com mais esses assuntos e histórias, começamos a carregar na nossa bagagem de conhecimento (o cérebro) mais ideias.


E aqui queremos dizer boas ideias, obviamente.


Mas não só conhecendo gente nova conseguimos isso.


Pesquisar, ler e se informar sobre temas com os quais ainda não tivemos contato também é outro ótimo caminho.


Essas ideias que surgem a partir desses fatores tendem a ajudar na nossa vida pessoal e profissional, seja qual for a classe social em que você está inserido ou o cargo que exerce no dia a dia, por exemplo.





Convenhamos, quem não quer possuir mais ideias e repertório para sugerir e conversar com outras pessoas na vida?


Cada pessoa deveria ocupar-se com a coleta de novas ideias em fontes externas ao ambiente no qual vive e trabalha diariamente.

Agora, vamos ao terceiro tópico.



'Modismo positivo' vence 'tradição negativa'



O que queremos dizer com isso é: novos hábitos bons superam velhos hábitos ruins.


(Para entender melhor qual o nosso sentido em "'modismo positivo' vence 'tradição negativa'", dê uma olhada no nosso outro artigo de reflexão que se chama: "O problema da 'tradição' e o benefício do 'modismo'".)


Mas o que seriam esses hábitos?


Bom, tem uma série deles.


Exemplos de velhos hábitos ruins:


  • Discriminar minorias sociais (principalmente).

  • Manter costumes não sustentáveis.

  • Cultivar fofocas e rumores com más intenções.


Agora, exemplos de novos hábitos bons:


  • Respeitar e dar espaço às minorias sociais.

  • Adotar costumes sustentáveis.

  • Contar histórias de engrandecimento e superação do próximo.


A mente aberta faz com que deixemos de lado essas práticas antigas, ultrapassadas e prejudiciais, abrindo espaço para condutas que aumentam a qualidade de nossa saúde, relações e a vida como um todo.



Ajuda a dominar medos



O fato de estarmos mais abertos ao mundo facilita a superar barreiras, atravessar fronteiras e dominar medos.


O que antes víamos como grande obstáculo na nossa vida, passamos a perceber que somos maior do que aquilo.


Seja qual for o seu medo (ex: o de fracassar), a mente aberta nos faz mais dispostos a, mesmo caindo algumas vezes, levantar e seguir o caminho para atingirmos o objetivo que traçamos a nós mesmos.


Nos soltamos do pensamento que antes nos aprisionava no nosso cantinho e zona de conforto e vamos atrás de superá-lo.


Isso não significa que, uma vez com a mente aberta, passamos a nunca mais ter medo(s).


Ter medo faz parte de nós seres humanos.


Mas a mente aberta nos ajuda a lidar melhor com eles, na maioria das vezes.



Sai do mindset fixo para o mindset do crescimento



Para quem não sabe, o mindset fixo é um modelo de pensamento que possuímos e nos faz acreditar que nossas qualidades são imutáveis, ou seja, não podem ser desenvolvidas.


Já o mindset de crescimento é justamente o contrário disso: se baseia na crença de que somos capazes de cultivar competências, sim.


Pelo menos, essas são as definições dadas no livro Mindset: a Nova Psicologia do Sucesso, de Carol S. Dweck.


Quem tem a mente fechada, provavelmente, possui o primeiro modelo de pensamento.


Isso faz com que a pessoa cresça pouco na vida, dispondo de repertório e conhecimento bem limitados.


Agora, quem consegue estar mais aberto, detém o mindset de crescimento, conseguindo evoluir muito mais na sua vida e se tornando alguém muito mais interessante a ele próprio e a quem está em sua volta.





Depois de tudo isso, ainda duvida que a mente aberta fará você sair da zona de conforto e se tornar uma pessoa melhor?


Duvidando ou não, daremos algumas sugestões de como você pode comprovar isso dentro da sua rotina.



Dicas de como adotar uma mente aberta



Experimente seguir os próximos toques nossos e nos diga como foi e está sendo para você.


  • 1x/mês, conheça ou fale com uma pessoa que não está no seu círculo social.

  • 1x/semana, leia sobre um assunto que não está acostumado a ler.

  • 1x/duas semanas, substitua um velho hábito ruim por um novo hábito bom.

  • 1x/dois meses, enfrente um medo que julgue importante superar.

  • 1x/duas semanas, aprenda uma nova habilidade.


Por favor, não estamos incentivando você a se forçar a fazer essas coisas de modo desregulado, exagerando na abertura da sua mente, ou adotando esses hábitos de forma muito isolada ou esporádica.


O nosso conselho é que siga essas sugestões de modo moderado e com cuidado.


Um bocado de zona de conforto e organizado também nos faz bem.


Mantenha o que acha essencial na sua vida e comece por onde julga necessário melhorar primeiro.





Precisa de ajuda nesse sentido?


Nós estamos abertos a trocar ideias com você no que for possível.


Procurar um psicólogo e especialista na área também é super recomendável.


Outra atitude interessante é compartilhar esse tipo de mudança com amigos e familiares confiáveis.


Diante de tudo que foi abordado, encerramos com uma frase também do livro do Napoleon Hill aqui mencionado:


Nada é mais trágico - ou mais comum - do que a inércia mental.

#PoderdoClique #DesenvolvimentoPessoal #MenteAberta


19 visualizações

                                                        © 2020 por Poder do Clique.

ACOMPANHE-NOS NAS MÍDIAS SOCIAIS

  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Instagram